« Home | Jorge Miranda entende que artigo 13 não se refere ... » | Duas mulheres tentam casamento » | Casamento entre pessoas do mesmo sexo » | Casamento entre pessoas do mesmo sexo: PS e PSD de... » | Teresa e Lena querem ser "um casal como os outros"... » | Portuguese lesbian couple opens debate with marria... » | Casal de lésbicas vai tentar casar » | Um país em mudança » | Associações homossexuais unem-se para conseguir ca... » | Casal de lésbicas vai exigir que estado as case » 

quarta-feira, fevereiro 01, 2006 

Francisco Louçã: «Constituição foi alterada para impedir discriminação»

Francisco Louçã defende que a Constituição foi alterada bpara impedir discriminações baseadas na escolha sexual. Odete Santos defende uma mudança após um debate sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ao passo mque PS e PSD acham que este não é prioritário.

Francisco Louçã entende a norma de não discriminação com base na orientação sexual, prevista na Constituição, deve prevalecer, numa reacção ao facto de duas mulheres tentarem esta quarta-feira o casamento entre si.

Em declarações à TSF, o dirigente do Bloco de Esquerda considera que a questão a nível jurídico é calara, até porque a «Constituição foi alterada no sentido de impedir que haja qualquer discriminação baseada nas escolhas da vida sexual de qualquer pessoa».

«Desse ponto de vista, a Constituição impõe imediatamente que o Código Civil não possa excluir casais formados por duas mulheres ou homens do acesso ao registo civil do casamento. A lei deve ser corrigida porque é assim que impõe a Constituição», continuou.

Para além desta questão, Louçã considera ainda que não pode ser o Estado a decidir com quem é que as pessoas decidem viver ou casar por respeito pelas pessoas.

«Esta alteração à Constituição para determinar que não pode haver discriminação em Portugal nomeadamente por razões das escolhas da vida sexual foi aprovada por unanimidade. Esperaria que todos os partidos que assim o aprovaram possam ser coerentes com esta posição», explicou.

Com esta base, o dirigente bloquista espera que «quando chegar o projecto-lei à Assembleia da República que determine o fim desta forma de discriminação possa ser aprovado naturalmente por todos aqueles que deram o seu voto à alteração da Constituição», concluiu.

Já Odete Santos que é subscritora de uma petição a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo que será entregue na Assembleia da República a 16 de Fevereiro entende, tal como o PCP, que a questão deve ser discutida com calma na sociedade portuguesa.

«O secretário-geral do PCP pronunciou-se sobre isto na campanha eleitoral e disse que esta decisão merecia um grande debate na sociedade portuguesa para efectivamente a sociedade estar sensibilizada e conseguir-se através desta sensibilização um grande consenso através desta matéria», explicou.

Apesar de a petição da qual é subscritora falar de uma resolução imediata do problema, a deputada comunista insiste numa discussão calma do problema, em vista da «deformação de uma moralidade entre aspas fortemente condicionada pela tradição judaico-cristã que temos».

Por seu turno, PS e PSD entendem que a questão não é prioritária, se bem que o porta-voz dos socialistas entenda que se esta se vier a tornar prioritária e se os tribunais se pronunciarem pela inconstitucionalidade pode haver uma mudança de ideias.

«Poderá vir a criar-se essa prioridade se houver um debate conclusivo na sociedade portuguesa ou se órgãos da fiscalização da constitucionalidade com especial responsabilidade como é o caso do Tribunal Constitucional vierem a pronunciarem-se pela inconstitucionalidade do actual panorama legislativo», precisou.

TSF

Objectivo

  • O objectivo deste blog é recolher toda a informação relativa ao casamento entre pessoas do mesmo sexo que vá sendo publicada nos principais meios de comunicação portugueses. E a informação publicada no estrangeiro sobre Portugal. Além de textos informativos também serão recolhidos textos de opinião positiva ao casamento homossexual. Este blog não tem qualquer finalidade comercial, no entanto se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo constante neste sítio comunique-nos, por favor, através do nosso e-mail, que também deve ser usado para nos enviar qualquer sugestão, dúvida ou comentário. Obrigado.
Powered by Blogger
and Blogger Templates