« Home | Homossexuais já podem casar » | Congresso espanhol aprova casamentos gay » | Casamentos 'gay' aprovados em Espanha » | Parlamento espanhol aprova casamento homossexual » | Espanha não casa gays portugueses » | Duas pessoas feridas em desfile anual de homossexu... » | Espanha aprova casamentos homossexuais » | Espanha legaliza casamento entre pessoas do mesmo ... » | Recolhidas 600.000 assinaturas contra casamento en... » | Casamentos homossexuais voltam ao Congresso » 

sexta-feira, julho 01, 2005 

Rainhas à sombra de almodóvar

Por Mário Jorge Torres

O argumento de "Rainhas" constrói-se em torno de uma actualíssima exploração da recente legalização dos casamentos entre homossexuais, na vizinha Espanha: uma grande cerimónia, reunindo vários pares, reúne em Madrid os pais dos casais "gay", aproveitando-se a ocasião para acumular "gags" (heterossexuais), numa ambiciosa comédia de costumes e de inuendos sexuais. Embora a temática "gay" sirva de motor da acção, "Reinas" assume-se como filme de mulheres, convocando, inclusive, três das grandes figuras femininas do universo almodovariano: Verónica Forqué ("Kika"), Cármen Maura ("Negros Hábitos", "Que Fiz Eu para Merecer Isto?", "Matador", "A Lei do Desejo" ou "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos") e Marisa Paredes ("Negros Hábitos", "Saltos Altos", "A Flor do Meu Segredo" ou "Tudo Sobre a Minha Mãe").

Este forte referente do mundo de Almodóvar, a que poderemos acrescer o grafismo multicolor do genérico ou a predominância de uma estética "camp", na definição de personagens e situações, aparece ao serviço de uma estratégia de constante "pastiche", mas nunca atinge a profundidade do original: ficamos quase sempre no domínio da comédia rasteira, na apresentação óbvia do sexo (veja-se a sequência inicial da mãe ninfomaníaca na casa de banho do comboio, prolongada no reencontro com o galã de ocasião no restaurante) e numa exploração equívoca de uma moralidade transgressora: os casais homossexuais, explorados na ficção (todos homens), embora procurem ultrapassar o estereótipo, sobretudo na personagem do deputado que teve uma aventura "extra-conjugal" com o psicanalista da mãe, ficam à beira do anedótico, sem espessura nem complexidade.

Por outro lado, o projecto do filme passa pela representação de outras cinematografias de língua espanhola, puxando pela personagem-tipo da mãe possessiva, vinda da Argentina (divertidíssima Betiana Blum), e introduzindo, um pouco a martelo, o cubano Jorge Perrugorría (o protagonista de "Morango e Chocolate") na figura do cozinheiro grevista, amante da personagem de Carmen Maura. Este catálogo de situações sociais exemplificativas mais não faz do que adequar-se a vários tipos de público, em projecto comercial exposto: enquanto Almodóvar aspira a desenhar uma metáfora da Espanha moderna, Manuel Gómez Pereira (autor do curioso "thriller" "Entre las Piernas", de 1999), aproveita um pouco o modernaço para tirar dividendos de uma história "escandalosa", na moda.

O melhor de tudo, nesta divertida, ainda que algo desequilibrada, comédia, reside, é claro, na reunião das "rainhas" (não referindo-se a um óbvio jogo de palavras, a partir do termo "queen", para homossexual efeminado), as cinco mães, entregues a grandes estrelas do cinema espanhol (e argentino): o "overacting" de Betiana Blum, na destravada Ofelia estabelece perfeito contraponto com a concisão de Mercedes Sampietro, numa gama variada de registos a roubar a atenção do espectador para um "festival" de interpretação.

O pior aparece nítido na sequência em que Marisa Paredes desce a escada de casa, com a câmara a fazer um mini-spot publicitário, sempre interessada num efeito primário de captar a acção de forma imediatamente eficaz: a estética publicitária aflora em outras sequências, nomeadamente a do casamento conjunto e as da cozinha do hotel de Carmen Maura, reduzindo, por vezes, o impacte do humor convocado a um pálido arremedo de "sit-com" televisiva. No entanto, para o melhor e para o pior, "Rainhas" revela a capacidade de um certo cinema industrial espanhol para fabricar um produto vendável e "em cima do acontecimento".

#
Rainhas
Reinas
De Manuel Gómez Pereira. Com Verónica Forqué, Carmen Maura, Marisa Paredes. M/12
Lisboa: Monumental Saldanha Residence: 14h30, 17h, 19h30, 22h e 00h30.
Porto: Norteshopping: 13h05, 15h40, 18h20, 21h25 e 00h15.

Publicado no Y.

Objectivo

  • O objectivo deste blog é recolher toda a informação relativa ao casamento entre pessoas do mesmo sexo que vá sendo publicada nos principais meios de comunicação portugueses. E a informação publicada no estrangeiro sobre Portugal. Além de textos informativos também serão recolhidos textos de opinião positiva ao casamento homossexual. Este blog não tem qualquer finalidade comercial, no entanto se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo constante neste sítio comunique-nos, por favor, através do nosso e-mail, que também deve ser usado para nos enviar qualquer sugestão, dúvida ou comentário. Obrigado.
Powered by Blogger
and Blogger Templates