« Home | Dia do Orgulho Gay: Associação defende criação de ... » | Não aos casamentos gay » | Milhares em Madrid contra casamentos 'gay' » | Políticos ameaçados por gays em Espanha » | Vereador António Abreu defende casais homossexuais... » | Papa condena uniões gay » | Referendo: Suíça aprova Shengen » | Paris: Gays acusam Papa de ser homofóbico » | Suíça Referendo avalia uniões 'gay' » | Corpos de bebés "em lixeiras" » 

quarta-feira, junho 22, 2005 

Homossexuais vão marchar sábado pelo casamento civil

O casamento civil entre pessoas do mesmo sexo é a reivindicação política da marcha do orgulho lésbico, gay, bissexual e transgénero (LGBT) que no sábado se vai realizar na Avenida da Liberdade em Lisboa.

A sexta marcha nacional do orgulho LGBT foi hoje apresentada em Lisboa pela Associação ILGA Portugal e pelo Clube Safo na presença dos dois "madrinhos" escolhidos para a iniciativa, os escritores Inês Pedrosa e Rui Zink.

Além da marcha, foi igualmente apresentado o nono Arraial Pride, integrado no programa das Festas de Lisboa, que decorrerá no Parque do Calhau, em Monsanto, onde a organização do evento espera ver cerca de 10 mil visitantes.

A marcha, que conta também com as organizações Não Te Prives e Panteras Rosa, pretende chamar a atenção da sociedade para a proibição do casamento civil por duas pessoas do mesmo sexo.

"Pessoas que têm os mesmos deveres devem ter os mesmos direitos", disse Rui Zink, ironizando: "se os gays e lésbicas deixarem de pagar impostos, então acho bem que não possam casar-se".

Rui Zink criticou igualmente a impossibilidade de os casais homossexuais em Portugal não poderem adoptar crianças, referindo que o principal é que os casais tenham condições económicas, afectivas e psicológicas para as tratarem, o que não acontece por vezes em casais heterossexuais.

Em oposição, Rui Zink referiu que não deixou de ter confiança nas instituições públicas quanto ao tratamento das crianças apesar dos "escândalos" como o da Casa Pia.

Também Inês Pedrosa se referiu ao direito de casamento entre "duas pessoas que se amam" do mesmo sexo, lamentando que, tal como na questão do aborto, Portugal esteja também aqui atrás de países como a Espanha.

"Esta reivindicação (casamento civil) é legítima" acrescentou a escritora, apelando a todos os que "acham justas as reivindicações" dos homossexuais a participarem na marcha e no arraial de sábado.

Os dois escritores sublinharam que o direito ao casamento entre duas pessoas do mesmo sexo é o "direito à normalidade", afirmando que o casamento não tem só como objectivo a reprodução.

Ambos realçaram que a situação em Portugal não se compadece com a Constituição Portuguesa que proíbe a discriminação com base na orientação sexual.

Notícia RTP.

Objectivo

  • O objectivo deste blog é recolher toda a informação relativa ao casamento entre pessoas do mesmo sexo que vá sendo publicada nos principais meios de comunicação portugueses. E a informação publicada no estrangeiro sobre Portugal. Além de textos informativos também serão recolhidos textos de opinião positiva ao casamento homossexual. Este blog não tem qualquer finalidade comercial, no entanto se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo constante neste sítio comunique-nos, por favor, através do nosso e-mail, que também deve ser usado para nos enviar qualquer sugestão, dúvida ou comentário. Obrigado.
Powered by Blogger
and Blogger Templates