« Home | Demita-se » | Schwarzenegger contra casamento homosexual » | A Reacção » | Adopção: Deve entregar-se crianças a casais homoss... » | Opus Gay pede demissão de Luís Villas-Boas » | Villas-Boas Diz Que Ser Educado por Homossexuais É... » | Bispos condenam adopção homossexual em Espanha » | Casamentos homossexuais às centenas » | Massachusetts Autoriza Uniões Homossexuais » | Vaticano acende campanha contra casamento de homos... » 

terça-feira, fevereiro 24, 2004 

Bush apoia revisão constitucional contra casamento homossexuais

Presidente quer "impedir que o significado de casamento seja alterado para sempre"


Desde dia 12, San Francisco já autorizou a celebração de pelo menos 6500 uniões homossexuais

O Presidente norte-americano, George W. Bush, anunciou hoje oficialmente que apoia uma proposta de revisão da Constituição a interditar o casamento entre homossexuais nos Estados Unidos, para "impedir que o significado de casamento seja alterado para sempre".

A posição assumida por Bush surge depois de o mayor de São Francisco, na Califórnia, Gavin Newsom, ter autorizado a emissão de licenças de casamento para casais do mesmo sexo. Desde o passado dia 12, a cidade californiana já autorizou a celebração de pelo menos 6500 uniões homossexuais.

Segundo a autarquia de São Francisco, a lei do Estado é contrária à constituição, que proíbe qualquer discriminação baseada no sexo ou nas orientações sexuais, e portanto é permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Numa referência directa a essa situação, o chefe de Estado norte-americano, que falava na Casa Branca, considerou que, nos últimos meses, "alguns juízes activistas e responsáveis locais têm feito esforços agressivos no sentido de redefinir o casamento".

"A não ser que seja tomada uma medida, podemos esperar mais decisões judiciais arbitrárias, mais litígio, mais desafio à Lei por responsáveis locais, conduzindo à incerteza", afirmou Bush, argumentando que "alguns juízes e autoridades locais pretendem alterar a mais fundamental instituição da civilização", tendo as suas acções criado "confusão sobre uma questão que exige clareza".

O Presidente defende que para uma "questão desta importância", a "voz do povo deve ser ouvida". "Tribunais activistas deixaram ao povo apenas um recurso: se queremos impedir que o significado do casamento seja alterado para sempre, a nossa nação deve avançar com uma revisão constitucional para proteger o casamento na América. É necessária uma acção decisiva e democrática, porque tentativas de redefinir casamento num único estado ou cidade pode provocar consequências sérias em todo o país", sustentou o chefe de Estado norte-americano.

Bush apelou ao Congresso que aprove e remeta aos estados para ratificação uma emenda que defina especificamente o casamento como a união entre "marido e mulher". "O nosso Governo deve respeitar cada pessoa e proteger a instituição do casamento. Não há contradição entre estas responsabilidades", concluiu.

As revisões constitucionais nos Estados Unidos devem ser aprovadas pela maioria de dois terços das duas câmaras do Congresso e depois ratificadas por três quartos dos estados norte-americanos, num prazo fixado pelo Congresso, normalmente de sete anos.

O casamento entre homossexuais é autorizado no Canadá, na Bélgica e na Holanda. Alguns estados americanos permitem, em teoria, os casamentos civis. A Dinamarca foi o primeiro país do mundo a autorizar, a 1 de Outubro de 1985, o casamento civil entre homossexuais, que foi apelidado de "associação registada".

Publicado no Público.

Objectivo

  • O objectivo deste blog é recolher toda a informação relativa ao casamento entre pessoas do mesmo sexo que vá sendo publicada nos principais meios de comunicação portugueses. E a informação publicada no estrangeiro sobre Portugal. Além de textos informativos também serão recolhidos textos de opinião positiva ao casamento homossexual. Este blog não tem qualquer finalidade comercial, no entanto se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo constante neste sítio comunique-nos, por favor, através do nosso e-mail, que também deve ser usado para nos enviar qualquer sugestão, dúvida ou comentário. Obrigado.
Powered by Blogger
and Blogger Templates